Sem acordo para pagamento de salários, professores decidem manter paralisação após encontro com o prefeito de Tauá

Publicado em: 07/12/2017 08:41:21
Tag(s): Impasse, Reunião, Professores, Prefeito, Salários atrasados, Tauá.
Categoria:
Clique para Ampliar

Terminou sem acordo a reunião entre o prefeito de Tauá, Carlos Windson e uma comissão representativa dos professores da rede municipal de ensino realizada na tarde desta quarta-feira, 06, para tratar do pagamento dos salários de novembro e o 13º dos funcionários da Educação.

O professor Luis Auci, que é presidente da APEOC, divulgou uma mensagem nas redes sociais fazendo um balanço do encontro e dizendo que a mesa de negociação foi quebrada porque o prefeito de Tauá não aceitou as propostas da categoria e também se recusou a assinar um documento comprometendo-se a pagar o mês de novembro pelo menos até o dia 29 de dezembro, apesar do gestor afirmar que não daria calote em ninguém.

Como não houve acordo, os professores continuam mobilizados e confirmaram a programação definida na reunião desta terça-feira, 05, de manter a paralisação e realizar uma manifestação de protesto na manhã desta quinta-feira, 07, em frente ao Gabinete da Prefeitura de Tauá, no 1º andar do prédio do Banco do Brasil. 

Auci destacou ainda, a afirmação do prefeito de que só negociava se a categoria voltasse à sala de aula.

A desconfiança e a preocupação dos professores é que a Prefeitura de Tauá não tenha dinheiro para pagar a folha de novembro e o 13º nesse mês.

A Prefeitura de Tauá anunciou que depositou hoje(06/12), o valor corresponde ao 13º do magistério, mas não deu nenhum previsão sobre o pagamento da folha de novembro.

Pela primeira vez em 16 anos, a Prefeitura deixa de honrar os compromissos em dia com a folha de pagamento do funcionalismo público.

Na manhã desta quarta-feira, 06, professores ocuparam o prédio da Secretaria de Educação.

Sindicato APEOC convoca Assembleia Geral

Diante do impasse, o presidente do Sindicato Apeoc do Estado do Ceará, Anísio Melo e o presidente municipal, Luis Auci divulgaram hoje(06/12), um Edital de Convocação marcando uma assembleia geral para a próxima quinta-feira, 14, às 8h no Auditório do CECITEC, quando a categoria poderá deflagrar greve geral por tempo indeterminado, caso as negociações não sejam retomadas até lá.

Secretaria de Educação manda registrar falta dos professores que paralisarem atividades

Como forma de endurecer ainda mais esse impasse, a Secretaria de Educação de Tauá enviou Ofício Circular aos núcleos gestores orientando que sejam apontadas as faltas dos professores que estão participando da paralisação.

A categoria diz que está amparada pela lei. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar em 2016, o Recurso Extraordinário 693456, decidiu por 6x4, que "A administração pública deve proceder ao desconto dos dias de paralisação decorrentes do exercício do direito de greve pelos servidores públicos, em virtude da suspensão do vínculo funcional que dela decorre, permitida a compensação em caso de acordo. O desconto será, contudo, incabível se ficar demonstrado que a greve foi provocada por conduta ilícita do Poder Público".

Clique Aqui e veja a decisão do STF sobre o assunto