Professores paralisam atividades em Tauá devido ao atraso de salários

Publicado em: 05/12/2017 23:14:16
Tag(s): Paralisação, Professores, Atraso, Salários, Tauá.
Categoria:
Clique para Ampliar

Professores efetivos da Rede Municipal de Ensino de Tauá decidiram durante reunião na noite desta terça-feira, 05, no Auditório da Câmara Municipal, paralisar as atividades a partir desta quarta-feira, 06.

A medida foi tomada pela unanimidade dos quase 250 educadores presentes ao encontro convocado pela Apeoc e Aprofe, para discutir como a categoria agirá diante do atraso de pagamento dos salários do mês de novembro.

No início da reunião, uma comissão de professores que manteve encontro com o prefeito Carlos Windson na tarde de hoje(05/12), apresentou a proposta da gestão de pagar o 13º salário na sexta-feira, 08, deixando a folha de novembro para o decorrer do mês de dezembro.

Colocada à apreciação, a categoria não aceitou e reivindica o pagamento da folha que está atrasada, salientando que o prefeito terá até o dia 20 de dezembro para pagar o 13º. Os professores estão preocupados com a possibilidade de não haver dinheiro suficiente para pagar as folhas de novembro, 13º e dezembro nesse ano de 2017.

Paralisação

Diante desse quadro de incertezas quanto a questão salarial e das condições de trabalho nas escolas, os professores resolveram paralisar as atividades. Pela manhã, eles se deslocarão para as escolas onde estão lotados mas não darão aulas e às 8h a categoria realizará uma manifestação em frente a Secretaria de Educação.

Outras mobilizações da categoria estão marcadas para os demais dias da semana com o objetivo de pressionar o prefeito Carlos Windson a regularizar o problema do atraso no pagamento dos salários.

Na próxima semana, caso o problema não seja resolvido, os professores poderão decretar uma greve.

Os vereadores, Fátima Veloso, Valdemar Jr., Ronaldinho e Felipe Viana participaram da reunião dos professores.

Manifestação

Por volta das 10h da manhã desta terça-feira,  05, um grupo de professores, com o apoio de alunos, foi até à Secretaria de Educação em busca de informações sobre o pagamento, mas como a Secretária não estava presente, a categoria foi recebida por um integrante da gestão que não soube informar quando o pagamento seria realizado.

Veja o vídeo da manifestação