Mulher é condenada no último Júri Popular do ano em Tauá

Publicado em: 30/11/2017 22:00:43
Tag(s): Julgamento, Ré, Fórum, Tauá.
Categoria:
Clique para Ampliar

O Tribunal do Júri Popular de Tauá encerrou nesta quinta-feira, 30, o "Mês Nacional do Júri", com o julgamento de Isabelle Lopes Silva, acusada de tentativa de homicídio contra o Antônio Juscelino Araújo Mendonça, conhecido por Jurandir, agredido a golpes de faca, pedradas e pauladas.

O crime aconteceu por volta das 3h da madrugada de 07 de julho de 2013, próximo a pracinha do Bairro Bezerra e Souza.

Segundo o que foi apurado pela Polícia na época do crime, Isabelle saía de uma seresta em companhia do namorado Amaurício Gomes Rodrigues, conhecido por Pezão e de um amigo de nome Egberto Souza Alves, vulgo Cabeça, que por ocasião do fato eram menores de idade, quando se encontraram com Jurandir e um cunhado dele. Como um deles teria agredido Isabelle, revoltados, os três, Isabelle, Pezão e Cabeça, passaram a perseguir e agredir Jurandir que se embrenhou no matagal, mas foi alcançado e lesionado com duas perfurações faca, pauladas e pedradas.

Mesmo ferido, Jurandir conseguiu correr e buscou ajuda com populares que o socorreram para o Hospital Dr. Alberto Feitosa Lima e logo depois foi transferido para o IJF em Fortaleza.

Ao ser inquirida diante dos jurados Isabelli apresentou uma versão dizendo que fazia uma necessidade fosiológica quando foi abordada por Jurandir que tentou agarrá-la à força, fato que segundo ela motivou o crime.

Durante os debates, a Promotora de Justiça Dra. Karina pediu a condenação da ré, enquanto o Defensor Público Dr. Adriano, alegou a tese da legítima defesa.

Após os debates o Conselho de Sentença condenou Isabelle a 6 anos de reclusão no regime semi-aberto.

Isabelle, Pezão e Cabeça, que eram menores e que na época confessaram participação no crime não chegaram a ser punidos por causa da prescrição.

Repórter: Lindon Johnson