Após pressão do Ministério Público, Prefeitura de Tauá paga 1ª parcela dos professores efetivos e mantém temporários atrasados

Publicado em: 03/02/2018 08:39:09
Tag(s): Pagamento, Salários, Servidores, Tauá.
Categoria:
Clique para Ampliar

Após pressões feitas pelo Ministério Público e os professores nesses últimos dias, a Prefeitura de Tauá divulgou nas redes sociais que está pagando neste sábado, 03, a primeira parcela dos salários atrasados do mês de dezembro, mas somente para os professores efetivos.

Conforme o compromisso assumido pelo prefeito Carlos Windson, que parcelou o pagamento em duas vezes, sendo que a primeira havia sido definida para o dia 22 de janeiro(o que não aconteceu), depois, em reunião com a categoria, a gestão se comprometeu em pagar no último dia 31, e também nao cumpriu.

O caso foi levado ao Ministério Público, deu um prazo de 48h para o prefeito pagar todos os servidores efetivos e temporários, que estão sem receber pagamento desde o ano passado, mas, a Recomendação ainda não foi cumprida em sua totalidade, porque hoje(03/02) só saiu pagamento(1ª parcela) para os professores concursados e estáveis. Quanto aos professores temporários, o atraso continua.

Redução de carga horária

A Prefeitura, que reduziu a carga horária de vários servidores sem nenhuma comunicação prévia no mês de janeiro, após pressões dos funcionários prejudicados e discussão áspera com o Procurador Geral do Município durante encontro no Gabinete do Prefeito, voltou atrás e em folha suplementar pagou nesta sexta-feira, 02, o valor que havia sido descontado irregularmente, no entanto, mais de 400 processos de ampliação de carga horária serão analisados.

O caso foi levado ao Promotor Dr. Erick Pessoa que notificou a Câmara Municipal para apresentar as leis aprovadas pelos vereadores tratando do assunto. A Câmara encaminhou as informações nesta sexta-feira, 02.

2ª parcela de dezembro

Já o pagamento da segunda parcela dos professores referente ao mês de dezembro, que o prefeito se comprometeu(inclusive nas redes sociais), em pagar até o dia 12 de fevereiro, ainda não está totalmente confirmado porque em uma reunião com o Sindicato Apeoc no final de janeiro, ficou marcado outro encontro para a próxima terça-feira, 06, para discutir sobre o pagamento.

Os servidores da Educação que foram demitidos no mês de outubro e tiveram o pagamento parcelado também cobram uma previsão sobre a liberação do dinheiro, mas nenhuma informação foi dada pela gestão.

Outras categorias

Neste sábado, 03, estão sendo pagos também os efetivos da Secretaria de Saúde, mas não foi divulgada nenhuma previsão sobre o pagamento dos temporários. Uma das categorias mais prejudicadas é a dos cirurgiões dentistas, que apesar de ter sido efetuado o pagamento referente a um mês, a Prefeitura ainda está devendo os meses de dezembro e janeiro. Além disso, um festival de demissões de odontólogos ocorreu no mês de janeiro, num total de 9. Outra profissional pediu pra sair.

Ainda na área de saúde, os donos de veículos que transportam os profissionais que atendem nos PSFs dos distritos estão cobrando um atraso de 3 meses e utilizaram as redes sociais para anunciarem que estarão paralisando as atividades a partir de segunda-feira, 05, caso não saia pagamento.

Já os motoristas de transportes escolares e donos de caminhões que trabalham na limpeza pública, também reclamam de atrasos e não há previsão sobre pagamento.

Já os garis se queixam que não receberam o pagamento do 13º salário e o mês de janeiro já terminou.